História do Goalball
O Goalball é a única modalidade paralímpica que não teve adaptações em relação aos esportes convencionais, pois a modalidade foi criada exclusivamente para pessoas com deficiência. Os pais da modalidade foram o austríaco Hanz Lorezen e o alemão Sepp Reindle. O objetivo era reabilitar os veteranos da Segunda Guerra Mundial que perderam a visão.

Duas jogadores de goalball da seleção brasileira. Uma com a bala nas mão e o gol atrás.

Seleção feminina de Goalball. Melhor participação feminina da história da competição. Foto: Divulgação/CPB

Em 1976, em Toronto, Canadá, o Goalball masculino teve sua primeira participação nos jogos Paralímpicos, mas apenas como apresentação. A Áustria sediou o primeiro campeonato mundial da modalidade, em 1978. Dois anos depois, em Arnhem, o Goalball masculino entrou oficialmente nos Jogos Paralímpicos. O Goalball feminino entrou nos Jogos na edição seguinte da Paralimpíadas, em Nova York.

Atualmente, o esporte é praticado em mais de 120 países no mundo todo. As competições do goalball estão crescendo cada vez mais, tanto em nível técnico, quanto em formação de novos times.

A modalidade é gerenciada pela Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA, sigla em inglês), desde 1982.

História do Goalball no Brasil

Os pioneiros do Goalball no Brasil são as equipes do Clube de Apoio ao Deficiente Visual (CADEVI) e da Associação de Deficientes Visuais do Paraná (ADEVIPAR), que disputaram, em 1985, as primeiras partidas da modalidade, 29 anos após o esporte ter sido criado.

Dois atletas brasileiros no chão de uma quadra de goalball. O da frente está com a bola defendendo a bola com as mãos.

Final entre Brasil e Finlândia na Paralimpíadas de Londes. Seleção masculina conquistou a prata. Foto: Guilherme Taboadal/CPB

O primeiro campeonato da modalidade aconteceu em 1987, em Uberlândia, Minas Gerais, com Mário Sérgio, presidente da antiga ABDC, sendo o supervisor da competição. A seleção brasileira de Goalball conquistou sua primeira medalha em Parapan-Americano em solo argentino. Em 1995 os homens conquistaram a medalha de prata em Buenos Aires. Seis anos depois foi a vez das mulheres conquistarem a primeira medalha de bronze na competição.

Em 2003, a equipe feminina do Brasil conquistou a medalha de prata no mundial do Canadá. Com este resultado, elas asseguraram uma vaga nos Jogos Paralímpicos de Atenas. Foi a primeira vez que o Brasil foi representado nesta modalidade nas Paralimpíadas. Em 2008, a equipe masculina também fazia sua estreia, mas ambos os times não passaram da primeira fase. O grande número de atletas permitiu que o Brasil experimentasse uma enorme evolução neste esporte, ganhando, pela primeira vez, a medalha de prata nas Paralimpíadas de Londres em 2012. Nosso atleta Filippe Silvestre faz parte dessa história de conquistas.

Curta vocë também a Urece no Facebook!