Regras do Atletismo
O atletismo paralímpico segue as regras da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), porém sofre algumas alterações para que a prática possa ser feita pelos atletas com deficiência. O atletismo paralímpico é um dos esportes geridos pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC sigla em inglês), já que possui abertura para todas as deficiências.

O atletismo paralímpico é dividido em provas de campo, que são arremesso de dardo, lançamento de disco e salto em distância e provas de pista, sendo estas velocidades, meio fundo e fundo.

Provas de Campo

Atleta com a camisa da Urece em prova de lanamento de peso no atletismo.

Atleta cega em competição de campo. A venda nos olhos é para garantir a igualdade.

As provas de campo são representadas pela letra “F” (Field) e tem as categorias de arremesso de peso, lançamento de disco dardo e salto em distância, altura e triplo. O número é em referencia a deficiência de cada um dos atletas.

F11 – Atletas cegos - Os atletas da categoria F11 disputam vendados e com o auxílio sonoro dos chamadores que, podem ou não ser atletas.  Pode ser o próprio técnico, por exemplo.

F12 – Atletas com baixa visão - Os atletas da categoria F12, não são obrigados a competirem com auxilio dos chamadores, ficando a critério de cada um a utilização destes.

F13 – Visão Sub normal - Os atletas da categoria F13 não podem fazer o uso dos chamadores.

Provas de Pista

As provas de pista são representadas pela letra “T” (Track) e tem as categorias velocidade (100m rasos, 200m rasos e 400m rasos), meio fundo (800m rasos e 1500m rasos) e fundo (5000m rasos e 10000m rasos). O número é em referencia a deficiência de cada um dos atletas.

Um atleta e um atleta-guia. Ambos conectados com uma corda.

Corda nas mãos dos atletas para ambos ficarem conectados.

Nas provas de pista os competidores disputam com o auxílio de atletas-guia. Os atletas-guia têm a função de ajudar o atleta a não perder a direção e ambos são conectados através de uma corda. Porém algumas regras devem ser observadas: Os atletas-guia não podem puxar os atletas para ganharem mais velocidade; não é permitido os atletas-guia cruzarem a linha de chegada antes do atleta, tendo como consequência aa desclassificação da prova.

T11 – Atletas cegos – Os atletas da categoria T11 correm vendados e com o auxílio de atletas-guia, onde ambos ficam conectados através de uma corda. Os atletas têm direito a duas raias na prova pelo fato de correrem com os guias.

T12 – Atletas com baixa visão - Os atletas da categoria T12, não são obrigados a competirem com os atletas-guia, ficando a critério de cada um a utilização destes. Utilizando ou não os guias, os atletas também têm direito a duas raias.

T13 – Visão Sub normal - Os atletas da categoria FT13 não podem correr com os atletas-guia. Os atletas T13 competem com regras idênticas dos atletas convencionais.

Curta vocë também a Urece no Facebook!